você precisa ler…

Ler livros sobre empoderamento feminino não é uma modinha pra mim. Trata-se de uma reeducação, trata-se dos livros que me foram negados quando eu era uma garotinha. Das histórias que me excluíam, que me tiravam de cena, que colocavam a mulher como coadjuvante, a princesa que precisava ser salva por um homem, mas não que pudesse pular da torre e matar o dragão sozinha.

E mais uma vez,
Amanda Lovelace com seu títulos longos e cheios de significado, escreveu um livro de poemas incrível, forte e necessário. Depois de A princesa salva a si mesma nesse livro.

Tá na hora de falarmos sobre…

a

bruxa

não vai para

a fogueira

neste livro

Para que todas as mulheres que queimam, nunca deixem suas chamas apagarem.

Esse livro é um incêndio. Conta a história de guerreiras. Em poemas curtinhos, com essas letras vermelhas. O livro se impõe e vai tomando proporções gigantescas na gente. Gritando assuntos pesados e necessários.

Assuntos que a gente se esquiva nos jantares em família. Coisas que passamos todos os dias, e que para muitos, é só mais uma coisa que passamos todos os dias.

O melhor dessa obra, é a revolução da poesia, a Amanda faz isso de forma majestosa. Ela trás essa força nas palavras, a gente viaja e sente junto, e então ela nos coloca ali, bem entre as frases e páginas, como personagens.

Como protagonistas da nossa própria história. E é forte, quando a gente se dá conta e sofre por todas as vezes que fomos vistas como menos que donas de quem somos.

”eles

nos dizem

mais uma & mais uma

& mais uma

vez

que as mulheres

precisam

ficar

pequenas/

finas/

muito magras/

diminutas.

assim

somos

facilmente

colocadas no bolso

para ser usadas

& jogadas fora

mais

tarde.

curvas

& gordas

& pneus

são um

colossal

“foda-se”

ao

patriarcado…

nossa rebelião

inesperada.”

meu corpo rejeita seus desejos

Este talvez seja o meu preferido, transcrevi aqui exatamente da forma como está escrito no livro.

Muitas mulheres já queimaram em fogueiras, acusadas de bruxas. As curandeiras, feiticeiras, ou aquelas com conhecimento além de seu tempo, que não se curvavam a sociedade, que rebelavam-se diante dos padrões.

Essas eram lançadas na fogueira.

Aqui, Amanda nos mostra as fogueiras modernas, as do machismo, do abuso, da intolerância, do estupro, da cobrança da sociedade por sermos tudo que não somos, a falta de aceitação.

“me conte
uma coisa
aqui entre nós:
você nunca
desejou
poder 
dançar
em cima das cinzas 
de todos aqueles que
sempre duvidaram
do seu valor
& debocham
das suas palavras?”

É hora de juntas, apagarmos essas fogueiras.

“sempre coloque a si mesma em primeiro lugar.
sacrifique-se por sua própria 
decisão”

⠀⠀⠀⠀⠀


A bruxa não vai para a fogueira neste livro é publicado aqui no brasil pela editora Leya. Escrito por Amanda Lovelace, contendo 201 páginas. ⠀⠀⠀⠀⠀

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *